5-autocontrolo2.jpg

Na diabetes, a vigilância do controlo metabólico é da máxima importância para a preservação da saúde e para uma melhor qualidade de vida.  É, por isso, essencial que a pessoa com diabetes e os familiares mais próximos participem nessa vigilância - chamada de autovigilância -  e no autocontrolo, de modo a prevenir o aparecimento de desequilíbrios no controlo glicémico, e evitar as descompensações agudas     (cetoacidose diabética e hipoglicemias graves) e diminuindo o risco do desenvolvimento das chamadas complicações tardias da diabetes.
A autovigilância é fundamental para que uma pessoa com diabetes possa tomar decisões relativamente ao seu melhor controlo (autocontrolo).

Não existem regras rígidas para a autovigilância da glicémia, tendo esta que ser individualizada e, não raramente, modificada caso a caso, ao longo dos anos. É, no entanto, imperativo que se torne um hábito de todas as pessoas com diabetes, tanto as insulino-tratadas como das pessoas com Diabetes Tipo 2 sob terapêutica com comprimidos.

AUTOCONTROLO

IMPORTÂNCIA

QUANDO FAZER AUTOVIGILÂNCIA DA GLICEMIA?

Para uma autovigilância mais eficaz é fundamental que a pessoa com diabetes saiba reconhecer os sintomas habituais do desequilíbrio glicémico, em particular os sintomas mais frequentes de:

Hipoglicemia (baixa de glucose no sangue):

  • fome súbita e devoradora

  • tremores e/ou suores frios

  • tensação de fraqueza

  • dores de cabeça

Hiperglicemia (subida de glucose no sangue):

  • urinar em excesso

  • excesso de sede

  • boca seca

  • perda de peso

MONITORIZAÇÃO DA GLICEMIA CAPILAR

FREQUÊNCIA DOS TESTES

Numa fase inicial é natural que exista uma certa resistência a utilizar este método de autovigilância por quem já tem de se auto-injectar com insulina várias vezes ao dia.

No entanto, desde que as punções sejam feitas de forma correcta, a dor provocada é mínima, e é muito fácil conseguir a gota de sangue de tamanho suficiente. A picada deve ser feita no bordo lateral da polpa do dedo utilizando lancetas finas e dispositivos adequados (tipo caneta).

A frequência da determinação da glicemia deve variar consoante a situação clínica.


Pode variar entre 2 a 6 vezes por dia nas pessoas com diabetes a fazer insulina e 1 a 2 vezes por dia  nas pessoas com Diabetes Tipo 2 a tomar hipoglicemiante oral (comprimido).

Perfil Glicémico 2 a 6 vezes/dia 

  • na pessoa com diabetes sob terapêutica intensiva de insulina

  • na Diabetes Tipo 1

  • na gravidez

  • durante situações específicas médicas e cirúrgicas

  • em situações de equilíbrio instável

  • no diabético com insuficiência renal.

Perfil Glicémico 1 a 2 vezes/dia

  • pessoas com Diabetes Tipo 2 a tomar hipoglicemiantes orais

Independentemente da frequência, em que altura do dia devem ser feitos os testes?

Em jejum e após as 3 principais refeições (2 horas depois) ou antes das 3 refeições principais para decisão da dose de insulina a administrar.


É também aconselhável fazer periodicamente um teste durante a noite (por ex. 03h00 ou 04h00).

Objetivos da compensação na diabetes

Nota: Estes valores servem apenas como indicadores, devendo ser discutidos caso a caso com o médico assistente.

REGISTOS DE AUTOVIGILÂNCIA

Para que os resultados da autovigilância possam ser melhor analisados quer pela pessoa com diabetes quer pela equipa de saúde que a assiste, é indispensável que fiquem registados em mapas ou livros próprios para o efeito.

Nota: A informação contida nesta página é complementar das recomendações fornecidas pelos profissionais de saúde e em nenhuma situação as substitui.

OUTROS TESTES

A hemoglobina glicada também conhecida como hemoglobina A1c ou simplesmente, HbA1c, é um teste muito importante para todas as pessoas com diabetes. A quantidade (ou percentagem) de HbA1c representa os níveis médios de açúcar no sangue (glicemia) durante os últimos 2 a 3 meses.  É um excelente indicador do controlo da diabetes e do risco de vir a sofrer complicações tardias da diabetes.

2021_autocontrolo-1.jpg
Clique nas capas para saber mais sobre a Diabetes
2021_diabetes-1.jpg
2021_diabetesT1-1.jpg
2021_diabetesT2-1.jpg
2021_adocantes-1.jpg
2021_gravidez-1.jpg
2021_hba1c-1.jpg
2021_hipoglicemia-1.jpg
2021_hidratos-1.jpg
2021_autocontrolo-1.jpg
2021_olhos-1.jpg
2021_cetonemia-1.jpg
2021_disfuncao-1.jpg
2021_pes-1.jpg