GRAVIDEZ E DIABETES GESTACIONAL

Durante a gravidez há um aumento de hormonas que são produzidas pela placenta, e que têm uma ação oposta à insulina. Para contrabalançar este efeito o pâncreas aumenta a sua produção de insulina e em algumas mulheres - em média, 5% das mulheres grávidas - este aumento não se produz de forma adequada, provocando um acréscimo exagerado dos níveis de glucose (hiperglicémia).

É esta alteração, na esmagadora maioria dos casos, transitória durante a gravidez, que se designa por Diabetes Gestacional

A Diabetes Gestacional afecta fundamentalmente o feto, podendo provocar nele excesso de peso (Macrossomia) que pode dificultar o parto ou provocar a baixa de açúcar no sangue ao nascer (Hipoglicemia). Sabe-se, hoje em dia, que a Diabetes Gestacional aumenta também o risco de a criança vir a desenvolver Diabetes Tipo 2.

O QUE É A DIABETES GESTACIONAL?

COMO SE DIAGNOSTICA?

Critérios de diagnóstico da Diabetes Gestacional:

Glicemia plasmática em jejum ≥ 92 mg/dl (5,1 mmol/l) e < 126 mg/dl (7,0 mmol/l) na primeira consulta da grávida ou pelo menos um valor ≥ 92 mg/dl (5,1 mmol/l), 180 mg/dl (10 mmol/l) ou 153 mg/dl (8,5 mmol/l) em jejum, 1 hora ou 2 horas, respetivamente, na prova de tolerância oral com 75 gr de glicose realizada entre as 24 e as 28 semanas de gestação.*
 

RECOMENDAÇÕES

Durante:

Quando é diagnosticada uma Diabetes Gestacional utiliza-se, numa primeira fase, o exercício físico e os cuidados alimentares como forma de normalizar os níveis de açúcar no sangue (glicemia). A grávida passa a efetuar testes de autocontrolo da glicemia com a supervisão de um profissional de saúde.

Quando estas medidas não são suficientes para normalizar a glicemia pode ser necessário administrar insulina temporariamente.

*Fonte: Relatório Anual da Diabetes de 2016
 

Nota: A informação contida nesta página é complementar das recomendações fornecidas pelos profissionais de saúde e em nenhuma situação as substitui.

Depois:

No fim do período de amamentação ou nos dois meses após o parto devem fazer-se análises para comprovar se a diabetes desapareceu realmente.

As mulheres que tiveram Diabetes Gestacional têm maior probabilidade de vir a desenvolver uma Diabetes Tipo 2 no futuro. Este risco é ainda maior em casos de excesso de peso, falta de exercício físico e uma alimentação pouco cuidada.  É por isso fundamental manter hábitos de vida saudáveis e fazer uma vigilância periódica da glicemia.
 

2021_gravidez-1.jpg
Clique nas capas para saber mais sobre a Diabetes
2021_diabetes-1.jpg
2021_diabetesT1-1.jpg
2021_diabetesT2-1.jpg
2021_adocantes-1.jpg
2021_gravidez-1.jpg
2021_hba1c-1.jpg
2021_hipoglicemia-1.jpg
2021_hidratos-1.jpg
2021_autocontrolo-1.jpg
2021_olhos-1.jpg
2021_cetonemia-1.jpg
2021_pes-1.jpg
2021_disfuncao-1.jpg
capa_glucolite.jpg